Arquivos Mensais: Agosto 2011

“Caminho”

“Na marcha pelo deserto eu sabia Que alguns morreriam   Mas pensava sob o céu redondo – Onde O limite do meu amor da minha força?   E eis que morro antes do próximo oásis Com a garganta seca e … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | 4 Comentários

interrogar…

“Jean Rostand disse-me apenas exemplarmente que, à minha maneira, interrogasse sem descanso a realidade. Assim fiz. Como ele, não cheguei a certeza nenhuma , pois que investigar é o mais paciente recurso que o homem tem de não se render ao … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | 8 Comentários

“Conselho”

  “Cerca de grandes muros quem te sonhas. Depois, onde é visível o jardim Através do portão de grade dada, Põe quanyas flores são as mais risonhas, Para que te conheçam só assim. Onde ninguém o vir, não ponhas nada. … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | 2 Comentários

A necessidade de contar, elogiar, denunciar… REFORMULAÇÃO

Quero pedir desculpa a quem já tenha lido este post, nomeadamente a Maria João e a Emília… mas reformulei o texto que tinha publicado à pressa. Obrigada.   Lisboa, a minha cidade à pressa, em pleno Agosto. Lisboa, volta a ser … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | 10 Comentários

A necessidade de contar, elogiar, denunciar… Reflexões? (1)

Na sequência do post anterior senti necessidade de contar o que se passou desde a queda da minha mãe.   É uma vivência pessoal e íntima que procurarei partilhar. Sei que ela nos poderá transportar para algumas reflexões importantes a … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | 12 Comentários

Lisboa, por motivos de força maior

Uma queda. Todas as quedas nos parecem tolas. Nos fazem tantas vezes sentir ridículos ou desnecessariamente expostos nas nossas fragilidades. Perante nós mesmos. Perante os outros. Em casa, as quedas assustam-nos. Expõem-nos ao que mais receamos: dor, fracturas, limitações múltiplas…, … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas | 18 Comentários

Atitudes que Drenam Energias

“O tempo continua a correr. Passam-se os dias. De trabalho, de férias, de regresso ao trabalho, de expectativa de regresso a férias… … sei que em cada dia haveria pelo menos um pouco para dizer. O meu silêncio não é … Continuar a ler

Publicado em Uncategorized | Etiquetas | 14 Comentários