Se eu pudesse…

Se eu pudesse
era assim que me apetecia hoje…
não, trincar a terra toda
como o Caeiro,
mas rebolar nela sem medo ou frio
sujar-me na terra húmida
e polvilhar-me de areia
mergulhar num lago quieto
ou perfurar as ondas contínuas, inquietas
a encher de espuma o meu cabelo
e as mãos de conchas sonoras
com brilho
e depois, alimentar-me do húmus
esquecida desta civilização vazia
e podre
e do dia que correu
no cavalgar das horas
nebuladas pelo ritmo das obrigações cumpridas
 
Se eu pudesse
era assim que me apetecia hoje,
como o Caeiro
não, trincar a terra toda
mas rebolar por ela o meu corpo-alma
inteiro ou desfeito
feito ele próprio paladar ou cheiro,
ou simples som emitido ou calado nesse desejo,
dessa forma natural que só ela sabe…
e aprender que “assim é e assim seja…”
como o poema do Caeiro!
.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

8 respostas a Se eu pudesse…

  1. Teresa Ferreira diz:

    Obrigada Isabel por todos os paladares, cheiros, cores e por tudo o que me fazes sentir. Já estava com saudades tuas aqui. Abraço

    • Confesso que o coloquei aqui, porque me incentivaste a isso… e porque gostei de o ter escrito.
      Obrigada, Teresa pela amizade que tens demonstrado e pelo que isso tem representado na minha vida.
      Abraço bem apertado
      Isabel

  2. João Nuno diz:

    Querida Isabel,
    temos sentido a sua falta por aqui. Agora que nos habituou a momentos de verdadeiro prazer ao lê-la…não nos pode abandonar assim:)! Pensei em fazer um manifesto para circular pelo facebook “queremos a escrita da Isabel de volta”:) – estou a brincar, obviamente.
    Que fantástica forma de terminar a noite e de sentir todos os sons e cheiros que nos transporta. Adorei!
    Que haja sempre força para ir além!
    Um beijo amigo,
    João Nuno

    • Olá João Nuno!
      … eu sei que tenho andado um bocadinho afastada…, e o João Nuno sempre tão atento e presente. Obrigada mais uma vez. espero que tenha um bom final de ano e que a entrada no próximo seja cheia de ânimo e alegria.
      Beijinho
      Obrigada
      Isabel

  3. Fernanda Matias diz:

    Obrigada Isabel, pelo que escreveu8 nos disse de si) e porque já voltou. Fazia falta.

    Um grande abraço

    Fernanda Matias

  4. Maria João diz:

    Um belo poema, evocando Caeiro no seu quase desapaixonado-amor – esta é uma interpretação muito minha e um tanto ou quanto excessiva… – pela natureza.
    Que tenha umas excelentes entradas, Isabel e que o ano que se aproxima seja fértil em saúde, paz, amor e criatividade!
    Abraço grande!🙂

    • Obrigada, Maria João… e… o mesmo desejo relativamente a si e ao que o próximo ano lhe possa proporcionar, querida Poeta!
      …É sempre tão bom senti-la aqui!
      Um abraço bem apertado
      Isabel

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s