Paraíso

O que é o paraíso?
Provavelmente um estado de alma.
Procuro estar atenta e receptiva a tudo o que me cerca…
…nem sempre consigo.
Ainda bem que continuam a existir lugares especiais que têm o condão de me retemperar… lugares onde posso quebrar regras – as impostas pelo ritmo alucinante do quotidiano.
Preciso continuar a sonhar todos os projectos como possíveis e mais todas as paisagens como extensões desse paraíso em que preciso acreditar.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

4 respostas a Paraíso

  1. Manuel diz:

    Soubesse o homem
    Do vôo,
    Não seria como ave.
    Descobrir seria grave
    Que na busca do Paraíso
    O céu não é caminho
    Mas entrave.

    • …e na sequência do já dito, havendo sempre tanto para dizer ou calar, mas sobretudo para sentir… muito bonito o que escreveu.
      A cada um a aprendizagem adequada ao seu caminho e a si próprio. Cada um deve aprender e aplicar à sua maneira o que aprende, não por imitação ou desejo do que cabe ao outro… mas na certeza de que cada gesto de cada um de nós é único… e tem muito qe se lhe diga! Vivamos o nosso tempo e o nosso espaço. Mas vivamos! E que cada um descubra o seu inferno e o seu paraíso.
      Acredito que o Paraíso existe… em muitos dos momentos por vezes tão simples, precisamente aqueles em que nos permitimos de uma forma natural e genuina. São os momentos em que nos decobrimos mais fundo.
      Esta é a minha verdade de momento. Aquilo em que acredito agora e que procuro viver e partilhar.
      Obrigada Manuel

  2. zilda cardoso diz:

    É reconfortante lê-los aos dois, à Isabel ao Manuel… Já estou muito mais bem disposta, depois de ter passado uma noite dolorosa, sem saber como me voltar na cama, meia hora de cada vez que sinto a necessidade de mudar de posição, sem perceber como vou acabar esse movimento. Enfim não tenham pena – foi muita estupidez minha pensar ou não pensar que ia cair, quando em condições mais que precárias subi para as costas de uma leve cadeira de verga para chegar lá acima a não sei quê importante.
    Vai passar, só queria saber quando, para projectar umas coisas.

    Um abraço para os dois, preguiçosamente.
    ZM

    • Ih… essas quedas… Zilda, espero que melhore depressa e que que esses projectos venham!
      Agradeço, a si, ao Manuel, a atenção e ajuda que me têm dispensado.
      Se não acreditava em amizades virtuais, e ainda não acredito, posso dizer-lhes que se tornaram ambos muito importantes e especiais para mim.
      Não consigo conceber que possa ser virtual toda esta troca fantástica.
      Acredito em si e no Manuel quando os leio.
      Espero que esta noite consiga ser menos dolorosa. A queda em si, magoa o corpo nas zonas agredidas, mas a agressão estende-se muitas vezes sob a forma de contracturas musculares, quando instintivamente nos procuramos defender no momento da queda. E essas contracturas por vezes demoram a passar. Ajudará um calor húmido local?
      As melhoras, Zilda…
      … e um abraço para os dois também, grata pelo vosso incentivo e pela vossa amizade

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s