Ânimo!

Há pessoas que nos tocam de forma particular em determinados momentos.
Há momentos em que estamos particularmente sensíveis aos comportamentos e atitudes daqueles com quem vamos estabelecendo relações ao longo da vida.
Há pessoas, momentos e dias que simplesmente não esquecemos, talvez porque são dias tecidos de lágrimas e sorrisos, expressões incontidas da sensibilidade que a própria vida nos vai dando.
Recordo hoje um desses dias de olhos marejados em vários momentos. Um dos dias em que permiti que o tempo me preenchesse no seu escorrer contínuo, assoberbado de afazeres e gentes.
Marejados olhos e alma recordo hoje com especial emoção, uma pessoa a quem me senti afeiçoar gradualmente. A quem me fui apegando, nos menos de dez minutos que com ele passava cada vez que necessitava recorrer ao Centro de Saúde, onde nessa altura trabalhava…
Menos de dez minutos! Minutos preciosos que se foram preenchendo de cumplicidade, na nossa troca de olhares e nas palavras curtas que nos dissemos mutuamente, a fazer delas uma enorme conversa!…
Menos de dez minutos!…e a cumplicidade aumentava no sentido cada vez mais rico e preenchido dado à palavra “ânimo”, palavra que me repetia aparentemente de forma igual, desde o princípio!…
– “Ânimo!” repetia-me a cada vez.
“Ânimo!”, palavra que inicialmente eu quase assumia como uma das poucas que provavelmente conseguiria dizer…
E, na palavra repetida que me ecoava no seu tom de voz arrastado e monocórdico, carregava um sorriso conformado e triste, a parecer-me a cada vez, um cumprimento e uma despedida…
– “Ânimo!”, repetia-me.
E a cada som repetido de “ânimo”, ressoava no meu coração um eco, como uma lição de vida, esculpindo-se dentro de mim o seu sorriso de dentes amarelados, dentes que não conseguia lavar sozinho e que, mesmo sendo-lhe lavados, nunca poderiam vir a ter qualquer espécie de brilho!
Do pouco que conseguia exprimir, no tempo escasso que passava comigo enquanto o cuidava, encontrámos, ele e eu, uma paixão comum: paixão pulsátil. Paixão através da qual comunicámos com entusiasmo, mesmo no pouco tempo que estivemos juntos, ultrapassando parte das dificuldades que tinha em expressar-se…
Acentuámos assim a cumplicidade que crescia a cada dia. A cada dez minutos mais!
Música! Ele adorava música!… e sentia-a no coração. Tentava cantá-la, esboçando esgares esforçados que somava à sua linguagem, nas palavras que dificilmente articulava. E, junto com elas, o esforço de sincronização de gestos. Esses que já tinham sido coordenados e ritmados ao som dessas mesmas músicas que lhe preenchiam toda uma recordação de vida que continuava!
A cada vez surpreendia-me mais no mesmo esforçado sorriso, carregado ele próprio do “ânimo” que, não só desejava para si, como dava aos que com ele conviviam nesta grande lição de vida.
Este homem não desistia de comunicar com todas as suas dificuldades crescentes.
Não desistia de gostar da vida e de expressar, como podia e sabia, a beleza, o encanto e a grandeza que existe na alma de cada um de nós.
– “Ânimo!”
E a cada palavra de “ânimo” repetida, marejavam-se-me os olhos e a alma, na comoção de sentir que a vida pode sempre ser bonita e grande, desde que saibamos descobrir a beleza que há nela, independentemente dos corpos ou dos olhos que a vêem e sentem.
Seria bom descobrir e sentir esse “ânimo”, independentemente das nossas limitações e dificuldades de vida.
Que haja “ânimo” a cada dia!
 
Isabel Maia Jácome
in Jornal de Leiria, “Impressões”, 9 de Março de 2006
 
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

4 respostas a Ânimo!

  1. João Nuno diz:

    Querida Isabel, já tinha lido estas suas palavras fantásticas! Parabéns!
    Para si, com carinho:

    “Mal nos conhecemos
    Inauguramos a palavra amigo!
    Amigo é um sorriso
    De boca em boca,
    Um olhar bem limpo
    Uma casa, mesmo modesta, que se oferece.
    Um coração pronto a pulsar
    Na nossa mão!
    Amigo (recordam-se, vocês aí,
    Escrupulosos detritos?)
    Amigo é o contrário de inimigo!
    Amigo é o erro corrigido,
    Não o erro perseguido, explorado.
    É a verdade partilhada, praticada.
    Amigo é a solidão derrotada!
    Amigo é uma grande tarefa,
    Um trabalho sem fim,
    Um espaço útil, um tempo fértil,
    Amigo vai ser, é já uma grande festa!”
    Alexandre O’Neill

    • …que bonito poema de Alexandre O´Neill… e que bom ter amigos! É mesmo uma Festa:D !!!!!!!!!
      Obrigada!

      • Judy diz:

        Isabel you are God given , Thank´s for this one too. Am trying to read and understand everything though I miss some parts.
        Hugs

      • Judy
        I´m so happy whith you!…
        Strong whoman! You are a fighter. Soon you will understand, speak and write portuguese, better than a lote of portugueses!
        Thank´s for your words.
        Kiss
        Isabel

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s