Começar

Ainda este domingo, não sabia se iria ter o meu próprio blogue.
A quem me tem incentivado a criar um, dizia que não sabia se queria.
Confesso que a maioria das vezes acreditava que não. Embora reconhecesse em mim um prazer crescente em participar nos que fui conhecendo. Primeiro, lendo os posts neles publicados. Depois, comentários e respostas. Finalmente, não resistindo a participar de forma activa, deixando algumas palavras minhas, no entusiasmo de partilha que só quem gosta, entende e sabe.
Mesmo assim, perante esses desafios, mantinha-me quase convicta que não. Um blogue meu, não. Ou acrescentava, na consciência desse sentimento de dúvida, que não era ainda o tempo nem a hora.
A verdade é que não sabia, nem sei ainda como manter alguma coisa que depende de tecnologias que não domino… como não domino nem sei, tantas outras coisas que não dependem apenas da tecnologia e que considero necessárias para manter um espaço como este. Um espaço de partilha.
Mas é principalmente a esses que me foram desafiando, directa ou indirectamente que, em forma de agradecimento, procuro fazer a surpresa de me ter surpreendido a avançar.
Agradeço de forma especial à Laurinda Alves, à Zilda Cardoso, ao João Nuno e ao Pu-Ji, em cujos blogues fui descobrindo tanta coisa espantosa e onde gradualmente fui ganhando a coragem para participar tendo sido acolhida por todos eles com muito carinho. De certa forma, foram a minha estreia. Obrigada.
Agradeço também a todos os outros bloguistas para onde tenho sido catapultada sucessivamente e com quem tenho ainda muito para aprender.
Agradeço ao Rui Zink que, de uma forma particular, me fez pensar seriamente que esta poderia ser uma forma de exercício importante para quem gosta de escrever.
Um agradecimento especial e de destaque, ao meu marido que, de rompão, duma amena conversa de domingo sobre blogues, me fez a surpresa de criar a base técnica (?) deste, depois de acesas conversas e trocas de ideias entre nós. Ele, a perceber mais do assunto que eu. Eu, com as minhas convicções e experiências bloguistas diferentes das dele. Mas esta foi uma prenda que vou procurar cuidar com carinho, autenticidade e, acima de tudo, muito prazer. Estreio-o hoje. Um dia que nos é especialmente querido.
Para terminar este começo, o porquê do “inescrever”…
…é difícil que uma palavra seja aceite num meio já de tantos. Inventar é a velha história. Somos inventores e tanto até descobrirmos que outros já tinham pensado o mesmo. Com o mesmo, ou com outro sentido. E há os que tomam as iniciativas e fazem.
De facto é preciso fazer. Por isso, depois de procurar com a cabeça e o coração encontrámos esta palavra, o meu marido e eu, e, num fragmento da tal discussão que se acendeu entre nós, tentámos desdobrar sentidos.
“Inescrever”…“Escrever por dentro”… “esboço de palavras”.
Ir ao encontro ou à procura de.
Descobrir todos os dias.
Palavra traços, palavra imagens, palavra emoções, palavra sentidos, palavra partilhas… esboçar por palavras, o por dentro dos sentidos, das interrogações, das descobertas, das vivências… como quem esboça o traço, o sentimento, a emoção, a aproximação da consciência. Este é para mim o início. E tudo a fazer parte da vida sabendo que viver é preciso. Partilhar a vida, também. Aqui, porque não? Desta forma, porque não? Também.
Quase de repente, aqui estou.

A porta está aberta. O importante é começar.
Bem vindos e obrigada.
Sempre,
Isabel Maia Jácome

Esta entrada foi publicada em Uncategorized com as etiquetas , , , , . ligação permanente.

34 respostas a Começar

  1. João Nuno diz:

    Querida Isabel,
    de si tenho uma imagem de serenidade e de esperança. De luz e de fé. Não lhe conheço pessoalmente o rosto…mas às vezes não o é preciso para se sentir muito de bom por uma determinada pessoa.
    Acho que o blogue é um desafio ainda muito pequeno para o grande tamanho e valor da Isabel. Fiquei radiante e parece-me, ainda assim, ser um excelente desafio.
    Aqui virei todos os dias, com esperança e luz. E sei que irei ler reflexões muito importantes sobre a vida que se faz vida.
    Um obrigado do tamanho da minha esperança. Quase que a pedir socorro para que a fé nunca acabe.
    Obrigado por tudo.
    João Nuno
    http://joaonunomb.spaceblog.com.br

    • Querido João Nuno
      …agradeço as suas palavras, sei que são sentidas. Mas devo confessar-lhe que de serenidade devo ter muito pouco, embora procure, sim, uma paz que nem sei se existe. Aliás, um dos meus livros de cabeceira é precisamente o “Livro do Desassossego”… e como diz José Saramago, algures num excerto do seu último discurso em Lisboa, “Gostaria de ter escrito um livro a que poderia ter posto o título de O Livro do Desassossego, mas Fernando Pessoa antecipou-se. O meu desassossego não é o mesmo que o dele, mas o título convinha-me”.🙂
      Não sou serena, João Nuno… mas paz e serenidade fazem parte de alguns dos objectivos de quem procura… mas que só muito poucos alcançam! Resta manter o desassossego da procura. Por isso não me leve a mal.
      Obrigada por estar aí. É sempre bom acreditar mas devemos ter cuidado com as expectativas. Quando demasiado altas levam-nos a desilusões por vezes difíceis de contornar.
      Beijinho amigo, com muito carinho, sempre, Isabel.

  2. Querida Isabel, muitos parabéns por ter dado este passo e por inescrever (inscrever é outro sinónimo bom) aquilo que anda entre a sua razão e o seu coração. Achei um presente lindo do seu marido. Mais do que ser um gesto bonito, é um gesto de grande amor, com alcance e profundidade. Parabéns aos dois, portanto (por tanto!). Obrigada pelas palavras que me dirige mas não me sinto merecedora pois é a Isabel e cada um dos amigos do círculo alargado que fazem a diferença no meu blog. A sério! Um abraço enorme e ficamos ainda mais próximas.

    • Querida Laurinda
      Obrigada pela sua resposta.
      De facto uma das escolhas era precisamente “inscrever”, mas estavamos condicionados pelo que já existia registado. Por isso tive que optar por “inescrever”… e e a necessidade subsequente de acrescentar o “escrever por dentro” e o “esboço escrito”… e é de tal forma esboço em tantos sentidos que já descobri algumas gralhas no post e tive que as corrigir.
      Com o tempo aprenderei. Devagar. Passo a passo.
      Obrigada por se manter aí… com essa humildade que a caracteriza e que é sempre um exemplo que devemos procurar seguir.
      Abraço enorme e até sempre

  3. Pu-Jie diz:

    Há coisas que ficam por dizer mas que de uma maneira ou de outra temos necessidade de exprimir o que nos vai no íntimo. Felizmente que existe a escrita. Se compararmos com a confrontação de um diálogo entre uma pessoa com outra, a escrita dá-nos mais amplitude para organizarmos os nossos pensamentos antes de extravasarmos estas emoções contidas.

    É a isto a que me refiro como “espaço”. É o tempo entre o estímulo e a resposta.

    Esta é uma das vantagens em escrever. Muito espaço significa tempo suficiente para reflectir sobre os nossos pensamentos e escrevê-los antes de os publicarmos.

    Os blogues abrem novas possibilidades para veicular informação e a expressão das nossas emoções. Nos nossos blogues, podemos tratar de tudo o que cative o nosso interesse. Podemos falar sobre coisas sublimes, sobre os nossos medos e desaires, o que comemos na véspera, com quem saímos, quais são os nossos planos e muitos outros tópicos sobre os nossos amigos, ou desconhecidos ou personalidades, ideias, atitudes.

    Se a Isabel gosta de escrever e se pretende prosseguir com o que o seu coração lhe ditar, então este seu blogue vai ser um sucesso pois conseguirá transmitir ideias que as meras palavras não conseguem tão facilmente exprimir.

    Muito êxito e cá estarei a acompanhá-la.

    Manuel aka Pu-Jie

    • Caro Pu-Ji
      Como sempre, palavras precisas e um leque aberto a tanto que se quer fazer.
      Gosto de escrever, sim. Oxalá possa, devagar, ir esboçando o bulício que me mexe, paralisa, ou.
      Apesar do meu cepticismo lactente aos 51, (acho que estou no fio da navalha, a oscilar entre a tendência para acreditar e o pé atrás que a vida nos ensina a colocar, embora não goste) está-me a saber bem a coragem momentânea de ir em frente.
      Conto com a sua ajuda.
      Obrigada, mesmo.
      Sempre,
      Isabel

  4. Anabela Dinis Branco de Oliveira diz:

    Querida:
    Não sou muito de escrever em blogues mas, por ti, acho que vou começar! Parabéns à blogger e ao seu querido maridão pela parte técnica! Pormenores técnicos doces e bons!
    Um abraço e até breve! Ainda tenho que estar mais duas horas “agarrada” ao Lobo Antunes para acabar um artigo que já vai atrasado!
    beijinhos
    anabela

    • Minha querida
      Fiquei tão feliz com a tua vinda aqui!…
      …espero que venhas muitas e muitas vezes. E que digas de tua justiça! Tenho tanto para aprender contigo!…
      Um beijão profundamente amigo
      Sempre,
      esta Isabel

  5. Rui Carreira diz:

    olá “belucha”
    pois é, primeiro estranha-se depois vai-se-nos “intranhando”.
    Vamos tendo tempos cada vez mais diferentes – menos tempo para grandes encontros, mas conseguimos mesmo assim ir estando sempre muito perto dos que nos dão a sorte de poder fazer parte deles.
    …arranjamos as “desculpas” todas …
    Obrigado Web!

    Bjs grandes para ti e família

    • Meu querido… como é bom que venhas aqui e que me ajudes neste processo de reflexão…
      …se as minhas palavras pudessem ter um pouco da tua música!…
      Valente!
      Tenho saudades. De ti. Do conservatório. Da música, praticada. Por dentro!!!
      E da família também.
      Beijão à família. Toda! Dos pais, ao filhote besnico. Toda mesmo.
      Um especial para ti.
      Sempre,
      Belucha

  6. Ola Isabel,
    é com imenso prazer que escrevo estas palavras, no seu inicio, no nascimento de mais um local de partilha, da sua partilha das palavras, com todos os que a conhecem, mas também com todos os que não conhece, mas que a podem seguir, conhecer, descobrir através da sua escrita. As sua reflexões, os seus pensamentos, os seu sentir, a palpitação de uma sabedoria que deseja partilhar, todas essas características estão presentes neste seu primeiro texto, que abre a porta a um futuro, que é já hoje, de grande conteúdo e riqueza.
    Parabéns, já está nos meus favoritos. Obrigado também pelas suas palavras no meu blog, fiquei muito sensibilizado e motivado a continuar, obrigado.
    Até breve
    Carlos

    • Carlos
      …fui renitente tanto tempo, como sabe… e o meu silêncio tão longo… mas compreendo agora cada vez melhor o entusiasmo e o prazer que este espaço e outros espaços de escrita podem proporcionar.
      Agora, amigo, é seguir em frente.
      Há muito caminho a percorrer.
      Obrigada pelas suas palavras e pelo seu incentivo.
      Manteremos a partilha. E isso, tenho a certeza, enriquece.
      Beijinho amigo
      Sempre,
      Isabel

  7. Mariana diz:

    Os “mores” do 5º sempre a surpreender! Que orgulho de vos conhecer tão bem e de conseguir associar a cada palavra um olhar, um sorriso, um gesto…

    Beijinhas e saudadinhas!

    Pin

    • Minha querida… tão bom o que disseste!
      Acho que é mesmo isso… e, precisamente porque as palavras podem ser tão ricas, conforme quem escreve, mas muito conforme quem lê, permitem-nos essas associações fantásticas de sentir. Depois, acontece por vezes também que aquilo que lemos nos diz tanto que ficamos entupidos de comoção e outras coisas boas!
      É tão bom gostar de alguém e sentir uma retribuição tão doce!
      Obrigada minha querida.
      Muitas, muitas saudades
      Sempre,
      “mores” do 5º

  8. Lucilia Sousa diz:

    Isabel

    Parabéns pelo seu blogue!
    Pelo conhecimento que tenho de si, sei que vai ser espaço onde irá partilhar o que de belo tem para dar.
    Serei visitante interessada.

    Beijinhos!

    Lucília

    • Minha querida
      Obrigada pelas suas palavras.
      Em tempos de mudança há que superar “dores” e deitar mãos à obra.
      Talvez através deste espaço consiga superar a tentação para o desânimo que às vezes nos tenta e quase desencaminha.
      Mas acho que não serei nunca alguém que desista de viver, procurar, descobrir, fazer, trabalhar!!! E a palavra pode ser um grande pedaço de mundo, desse mundo em que quero participar. Preciso.
      Obrigada por ter vindo aqui.
      Será sempre muito bem vinda.
      Agora, em frente com a vida, cuidando dela e de nós também.
      Beijinho, Isabel.

  9. Olá Isabel
    Relaxa em relação às perplexidades sobre o facto de teres ou não um blog teu e sabes porquê? Porque, amiga, só foi teu num muito curto e escasso período de tempo. Passou a ser também um pouco nosso…🙂 Partilhaste-o connosco lançaste-nos o convite para “entrar” e entrámos.
    Vamos retornar, porque apostamos em ti e nos teus INescritos. Regressamos a este teu “nosso” auspicioso espaço.
    Beijinho e em frente🙂 Nô

    • Eh Nô… será que com esta “responsabilidade” consigo relaxar?🙂
      Mas o compromisso comigo mesma e com o Pedro foi de que este fosse também um espaço de prazer… depende depois ao que se chama prazer… e há tantos, felizmente!
      Neste momento confesso que estou feliz com tanta demonstração de carinho.
      Acho que estava a precisar.
      Obrigada pela força. A ti. A todos quantos venham a participar, comentando ou não.
      Não resisto a citar o valter hugo mãe que, da nota de autor do livro “a máquina de fazer espanhóis”, escreveu: “é muito incrível escrever-se efectivamente para alguém”.
      Um abraço bem apertado, Nô. Bem apertado mesmo!
      Obrigada

  10. João Nuno diz:

    Querida Isabel…
    este cantinho já está a ser um sucesso!!!:) Que felicidade!
    Um beijinho de alegria.
    JN

  11. ffeliciano diz:

    vem vinda a esta nova forma de estar neste mundo virtual e de nos fazer sentir cúmplices, gosto de sentir a Isabel por cá desta forma, obrigada

    beijinho grande

    ff

    • Querida Fátima
      De uma forma absolutamente particular, será uma das minhas maiores cúmplices.
      Um passo de cada vez, não é?
      Agora, por favor, só tem que me dar indicações mais precisas para “conseguir” participar no seu blog que efectivamente foi o primeiro que conheci!, mas que acho de difícil acesso sob o ponto de vista técnico. Tento, tento…mas acabo por desistir. E mais do que nunca, desistir, não.
      Obrigada pela sua presença, pelo seu carinho, pela sua amizade.
      Abraço bem, bem apertado!

  12. Filipa Jácome diz:

    Ma foinha Mã,

    Louvo a tua(vossa!) iniciativa…

    Há muito que te sentia tentada a avançar na criação de um espaço só teu… onde pudesses dar largas ao sentimento da escrita. Creio que o receio de “não estar à altura” e o “assumir de uma nova (e tão grande) responsabilidade” te condicionavam este passo… um passo tão certo, tão necessário! Lembra-te mãezinha: os grandes escritores nunca foram feitos para se submeter à lei dos gramáticos, mas para imporem a sua! Acredito que deixes a tua marca! Única e singular! Aqui, neste blog… ou em qualquer outro lugar. Não devemos pensar demasiado! Na vida, não existem soluções. Existem forças em marcha: é preciso criá-las, aceitá-las… a elas seguem-se as soluções… e normalmente as mais acertadas! Como a criação do “inescrever”…

    Muitos Parabéns! Força!
    Tá foinha Pa.

    • …filhota querida…
      que palavras posso ter depois do que me dizes?!
      mas este espaço, como qualquer outro, a partir do momento em que é partilhado deixa de ser nosso…
      …a liberdade a quem lê!pela liberdade de quem escreve. E, por detrás das palavras escritas há sempre um mundo enorme.
      Aqui, uma intercepção de mundos…, o que é extermamente enriquecedor.
      Preciso de coragem, sim. Trabalho também, em tudo o que está por detrás e que é, simplesmente, a própria vida. Pudesse ela ser sentida dessa forma assim tão simples! E pudesse eu ser assim, simples também.
      … e a ti, meu furacãozinho cheio de garra, não te esqueças de continuar a aprender com tudo o que essa vida te ensina. O tempo te dirá tudo o mais.
      Obrigada, minha querida, por vires aqui.
      Obrigada pela filha que és. Espantosa e linda.
      Amo-te muito… e sempre.
      ta foínha mã

  13. Sara diz:

    Isabel,
    Parabéns pelo seu blog! Compreendo as suas dúvidas e hesitacoes, pois de certa forma senti o mesmo quando criei o meu… mas com o convívio (mesmo que apenas virtual) com outros blogs e seus autores, descobri um Mundo novo que traz imensas alegrias e aumenta a vontade de descobrir cada vez mais!
    Hei-de passar mais vezes por aqui e desde já fica o convite para que conheca os meus blogs…

    http://sara-boulevardofbrokendreams.blogspot.com/
    http://cronicasdemuniqueealgomais.blogs.sapo.pt/

    Desejo-lhe imensas alegrias com esta nova aventura em sua vida!

    Cumprimentos,
    Sara

    • Sara
      Obrigada pela visita e pelas palavras de incentivo.
      Fui dar uma espreitada rápida aos seus blogues. Achei muito interessante subentender que vive em Munique…
      Um contacto que tenciono manter, Sara.
      Interessante saber o que se passa no seu dia a dia, tão longe daqui e da nossa realidade, mantendo, pelo que me pareceu nessa visita rápida, uma forte ligação a Portugal.
      É sempre bem vinda. Visitá-la-ei também com curiosidade e prazer.
      Parabéns e obrigada uma vez mais.

  14. Nini diz:

    Minha querida, estou pasmada com a tua ousadia… mas tu és assim mesmo!
    Tens sempre dúvidas, muitas dúvidas mas quando finalmente te sentes com força para abrires as asas, surpreendes tudo e todos com voos tão belos. Obrigada por partilhares connosco o que te vai na alma.

    • Minha querida
      …fico tão feliz de te sentir aqui e poder contar contigo também nesta caminhada de tantos, tantos anos!
      Obrigada minha amiga.
      Que nesta etapa de vida possamos uns com os outros reflectir mais e mais, aprender mais profunda e interiormente e, quem sabe, mudar um pouco em nós e naqueles que têm desejo de o fazer connosco.
      Conto contigo.
      Sempre e desde sempre.
      Isabel

  15. Pedro diz:

    Ágætis Byrjun

    Bright Hopes Come True
    As We Walk Downtown
    Smiling And Laughing
    As Friendship And Exhaustion Collide
    We Celebrate
    A Two Year Wait
    A Distant Dream Is Born
    We Eat And Drink Ourselves Full
    And Pay Up
    With All We Have For The Day
    We Sit Down Excited
    Listen To Ourselves Play The Music
    No One Seems To Listen
    This Is Completely Different
    We Lived In Another World
    Where We Were Never Invisible
    A Few Days Later
    We Speak Again
    But It Didn’t Sound Good
    We Were All In Agreement
    In Agreement About Most Things
    We’ll Do Better Next Time
    This Is An Alright Start
    (Sigur Rós)

    E este será certamente um óptimo início.
    Aqui começa a aventura, aqui começa a partilha, aqui começa a Isabel Séc. XXI.
    Boa sorte para o teu blog, estarei por cá, atento para também eu poder “inescrever”.
    Beijinhos.

    Pedro

    • Oh Pedrinho…
      …será que posso ceder à tentação de te dizer, assim, o quanto me vais surpreendendo à medida que te vou descobrindo… sensível, surpreendente e cada dia um pouco maior, sem nunca fazeres alarde desse teu mundo interior que placidamente transborda?
      Sabes? É uma honra trabalhar contigo. Um jovem com tanto para dar…
      Continua!
      Obrigada pela tua participação aqui e sobretudo por te dispores a inescrever comigo
      Beijinho amigo

  16. lidia cravo diz:

    Querida amiga,
    Finalmente …. que salto….que bom ter-se atirado em força.
    Vê…. tanta incerteza, tanta insegurança….e com tanto para dar.
    Um abraço amigo

    • Querida Lídia
      Com tanto incentivo de todos… só posso continuar a agradecer os Amigos que tenho e continuar a partilhar, da forma que já me era habitual e agora, também desta forma, tudo o que puder!…
      …fazendo a ressalva de que, tudo o que tenho para dar é colhido do muito que tenho recebido!… e por isso, um obrigada especial, Lídia. Tem sido uma grande e extraordinária amiga, sempre presente nos piores e nos melhores momentos.
      Que esta seja uma etapa de aprendizagem especial. Mais uma.
      Obrigada por vir aqui!
      Abraço bem apertado, minha amiga!
      Isabel

      Por TUDO, Lídia… e hoje, pela sua vinda aqui um profundo agradecimento e uma amizade

  17. isabel mota diz:

    Querida Isabel
    Gira esta partilha de nomes, de referências, de encontros…
    Muitos parabéns pelo blogue lindo que fez nascer. Já nos cruzamos há muito no blogue da Laurinda e o seu nome fica…. e fica não porque a conheça pessoalmente mas pelas palavras que deixa lá, e em mim. Tantas vezes me fizeram reflectir e ter a certeza ainda maior de que estar atento, encontrar novos amigos e dar um pouco de nós é algo que não nos podemos dar ao luxo de perder, apesar das normas da sociedade.
    É sempre um prazer ler os seus comentários, será um prazer maior acompanha-la. Parabéns também à “equipa técnica”. Eu também não entendo quase nada das ferramentas destas novas tecnologias, mas… encontramo-nos nas palavras e as suas cativam-me há muito, acredite. Por tanto e pelo muito que há-de vir, aqui estou, a lê-la, a “escuta-la” e a incentiva-la sempre que as palavras se façam caprichosas e não queiram mostrar-se tanto (às vezes isso acontece-me…) receba uma grande beijinho e um abraço muito, muito apertado, cheio da minha companhia. Isabel Mota

    • Querida Isabel…
      nem imagina o quanto a sua atenção, presença e palavras são para mim importantes.
      Obrigada pela sua “companhia”… a de ontem, hoje, amanhã… e um abraço apertado a desejar-lhe que continue com toda essa sua força e simplicidade espantosas… a desejar que esta “nossa amizade” possa crescer… e nós com ela.
      Obrigada mesmo!
      Sempre…
      Isabel

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s