agradeço…

Olho para os meus dias.
Olho para as interrogações e reflexões que me faço e aqui partilho. Interrogações e reflexões comuns, afinal, a tantos pensadores e a tanta gente que luta por se descobrir e aos outros e ao próprio mundo e não desiste…
.
…e hoje, mesmo que consciente de um grande cansaço físico que me inibe de tanto que gostaria de fazer mais, sorrio para comigo e sinto-me feliz.
 .
Assim…agradeço os meus dias.
Agradeço o meu trabalho, a minha família, os meus amigos.
Agradeço Deus, os altos e baixos, os medos e o próprio cansaço, resultado de um envolvimento que se mantém todos os dias com a própria vida!
 .
Mas acima de tudo, agradeço a partilha…
essa que me enriquece, me preenche e me alimenta, me faz prosseguir…
…e que, apesar de todos os revezes, me mantém esta capacidade de acreditar, de querer acreditar, de querer lutar e construir pedaço a pedaço, dia a dia, esta vida que pulsa cá de dentro…
…esta vida que me mantém a capacidade de sentir, amar e agradecer todas as dádivas, de forma consciente e vivida…
…e que aumenta este prazer de estar em contacto com os outros e comigo mesma…
…que aumenta este prazer de me sentir ajudada e ajudar com todas as energias e falta delas…
…com toda a paixão e serenidade…
…essas contradições que nos preenchem e fazem de nós humanos…
… essas contradições aparentes que podemos descobrir sucessiva e progressivamente, mesmo que isso signifique que, ao fim de cada dia, possamos estar derreados e não consigamos fazer mais do que se fez!
 .
A todos os que comigo partilham a vida, muito, muito obrigada pelo que me ensinam,
pelo que me dão,
pelo que me permitem dar…
.
…porque, mais do que ser gostado e amado…
… é fantástico, mágico e indescritível, o sentimento que nos permite gostar, amar…
…e por isso mesmo, VIVER com intensidade, tudo o que se pode a cada dia!
 .
OBRIGADA!
MUITO OBRIGADA A TODOS, A DEUS E À VIDA!!!
.
About these ads
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. ligação permanente.

24 respostas a agradeço…

  1. Querida amiga

    Como são lindas
    as palavras que nascem do fundo da alma.
    Palavras inundadas de humanidade,
    de vida, de fé, de esperança…

    Que as estrelas
    sempre brilhem em teu olhar.

    • Obrigada Aluísio!
      Obrigada. É mesmo sentido!… e uma aprendizagem que partilho neste querer mais e mais na fonte inesgotável da vida… onde por vezes acabamos por esquecer de agradecer o que somos capazes de fazer a cada dia, com entrega, mesmo que cansados e a querer ser capaz de muito mais!
      Abraço amigo
      Isabel

  2. Vicente diz:

    Ombra mai fui

    uma maravilha para escutar em silêncio…agradecido:-)

    • escutei, mesmo já conhecendo… e sou terrivel para ouvir repetidamente e sem me cansar o que gosto realmente! Como as crianças que aprendem enquanto se repete… Lindo!
      Obrigada, mesmo!
      Resta o silêncio.
      beijinho
      Isabel

  3. Vicente diz:

    Isabel,

    Que texto mais bonito e que bem escrito está:-)

    Saiu de sopetão e com que facilidade, muito bom.

    Um beijo agradecido pela sua singeleza, descomplicação e atitude.

    Nota: às vezes anda um cara a arranjar nevoeiro quando o sol está a brilhar!

  4. :) Tenho a impressão de que acabei de lhe deixar, num comentário do meu blog, qualquer coisa muito parecida com o que publicou neste post! :) Claro que não está tão bonito, nem tão bem escrito… mas acaba por ter a mesma mensagem!
    Enorme abraço!

  5. Fernanda Matias diz:

    Querida Isabel
    Eu também lhe agradeço as tulipas amarelas ( Flores de que gosto muito )e, ao olhar para elas vejo a Isabel que não conheço pessoalmente .
    Também tenho olhado muito para os meus dias, para o que faço e para o que fazem dos meus dias. Dias de muitas coisas de muitas pessoas e, tanta gente que alguns não se lembram que os outros são gente ( confuso?).
    Acho que não. O mundo não está fácil e nós vamos ter tempos muito dificeis. Que faremos com tantas histórias com gente dentro? Deixamos tudo num dossier e ..tem que aguardar que o mundo mude ou juntamo-nos ás pessoas para que tudo mude.
    Sei que me entende.

    Um grande abraço

    Fernanda Matias

    • … adoro túlipas… e estas têm um significado muito especial porque foi o meu filho que mas ofereceu quando fiz anos… guardei-as em fotografia… guardei-as mais fundo, no coração… e são uma das muitas provas de que vale a pena agradecer.
      … e digo-lhe Fernanda… vale a pena também, continuar a olhar para os outros como gente. Gente como nós. Gente que precisa de gente… de humanização no atendimento, na capacidade de escuta…
      “o que faremos com tantas histórias com gente dentro”?
      Ainda bem que sabe que a entendo. Acho que entendo mesmo.
      É bom saber que não estamos sós e que muitos de nós, que lidamos com estas histórias tão difíceis de vida, não as deixamos num dossier e fazemos o que pudemos para que alguma coisa mude. E eu acredito que muda. Tenho algum feed-back a cada dia e estou a a aprender que, se ajudarmos uma pessoa pelo menos, por dia, já valeu a pena.
      É preciso acreditar, mesmo que seja difícil.
      Obrigada por estar aí.
      Sempre
      Isabel

  6. Herminia Lopes e Emilia Pinto diz:

    Oi Isabel!
    Que força tem na vida e que força dá a quem lê as suas palavras,
    Parabéns, é toda essa força que precisamos todos os dias, agradecer , ajudar, e amar.
    Há dias bem escuros ,neles procuramos o dia de amanhã, cremos que ele existe.há a esperança dum próximo melhor.
    Outros ha que são dias que não reclamamos os ditos normais que só lhe damos o verdadeiro valor quando aparecem os escuros.
    Creio também no post que pûs ultimo, umas mudançazinhas tão pequenas e faceis, ajudam a ver “coisas” mais faceis…

    Gostei Isabel.
    Parabéns.
    Até breve
    Herminia

    • Hermínia, obrigada mais uma vez.
      É boa esta partilha que nos enriquuece, estimula e faz sentir que há cada vez maior número de pessoas a querer mudar a forma de estar neste mundo que precisamos mudar de alguma forma.
      Escrever, ajuda.
      Comunicar, incentiva.
      Partilhar, permite.
      Abraço amigo
      Isabel

  7. Emília Pinto diz:

    O teu lindo e sincero agradecimento fez com que a ele juntasse o meu. Sabe, Isabel, eu só tenho motivos para agradecer, mas, sinceramente, não o faço; sou injusta e tenho consciência disso. Li-o com cuidado…refleti e, mais concentrada, voltei a lê-lo juntando-me assim à Isabel nesta verdadeira ” prece” à vida. Na loja social onde faço voluntariado vejo pessoas que não teem nada que agradecer; a vida não lhes deu nada e àquelas a quem deu, tirou; mesmo assim, vejo algumas a agradecer a sorte que teem de poderem ir lá buscar umas roupas e um punhado de víveres; sinto-me envergonhada quando isso acontece. A vida tem-me presenteado sempre; tenho dois filhos maravilhosos, adultos reponsáveis e dois netinhos fofos; saúde tem havido em todos e os meus pais apesar de passarem dos 80 ainda caminham cá junto comigo; estão longe, no Brasil, mas ainda estão cá e só isso já era motivo para que eu agradecesse todos os dias. As grandes amizades que tenho, os amigos maravilhosos que tenho feito neste mundo virtual e que me teem deixado mais rica com tudo o que partilham comigo são presentes preciosos que a vida me tem dado. Obrigada, Isabel, por me ter lembrado que tenho que fazer um brinde à vida por tudo o que ela me tem dado e, se não se importa, ao seu ” muito obrigada” junto o meu sincero MUITO OBRIGADA A TODOS, A DEUS E À VIDA. Um beijinho muito especial e..bendita a hora em que a conheci, deste modo aparentemente tão estranho, mas que me tem sido muito enriquecedor. Sinto um enorme orgulho por fazer parte da sua lista de amigos. Obrigada, Isabel!
    Emília

    • Querida Emília… que bom ler este testemunho… e que bom que se partilhe, repito mas uma vez.
      Obrigada pela espontaneidade, pela simplicidade e pela forma com que sem medo te expões e dizes da sua experiência e da tua reflexão sobre cada tema que se vai abordando, ora neste ora no teu, ora noutros blogues… e que permitem abrir a janela de cada um de nós aos outros e fazer-nos sentir, cada um de nós, mais humanos e mais pessoas… com pontos que se tocam, com ideias que se partilham, outras de que se discorda…
      É isto parte da vida… essa que agradeço por tudo o que disse e por tudo quanto recebo.
      Obrigada Emília, mais uma vez
      Sempre
      Isabel

  8. Fiquei/fico feliz em ver como tudo, enfim, fluiu. E como nos contagia. De uma força imensa estas tuas palavras: Uma força que nos preenche também de gratidão e alegria. Obrigada, Isabel.

    • Querida Teresa
      … a ti e não querendo discriminar ninguém, um agradecimento muito especial… muito especial mesmo, por tanto que me tens acompanhado, por tanto que me tens apoiado e incentivado e por tanto que me ensinas todos os dias na tua forma directa, altruista e cheia de humildade, humanidade e sabedoria.
      Agradeço profundamente. A vida é incrível e é de facto uma maravilha mesmo se nos questionamos, mesmo com as nossas dificuldades, os nossos erros e tentativas, as nossas conquistas e falhanços… mas acima de tudo, a nossa não desistência de olharmos para dentro de nós e procurarmos descobrir e apurar um estado de consciência que nos ajude a crescer mais e mais…
      …só assim conseguimos RECEBER efectivamente… e DAR, DAR, DAR. O que pudermos, o que soubermos!!!

      É bom, muito bom procurar e descobrir “A Alegria de Viver”!

      Um abraço muito, muito apertado… e obrigada uma vez mais… e sempre!
      Isabel

  9. E porque também me enche de força aqui fica

    • “GRACIAS A LA VIDA…” um poema extraordinário e que de facto vem completamente a propósito… um poema com que me identifico neste Amor imenso por tanto que tantas vezes não me cabe na alma e preciso extravasar de alguma forma. Uma delas, neste AGRADECER!
      “GRACIAS A LA VIDA/ QUE ME HA DADO TANTO…”
      …e este poema lembra-me também a Zilda e o Manuel e tantos tantos para quem sei ser tão significativo e importante.
      Obrigada uma vez mais, Teresa!
      SEMPRE!!!!!
      Isabel

  10. Joana diz:

    Que bonito este intenso abraço à vida!

    Um beijinho feliz por ver que se sente assim!

  11. Marta R diz:

    Lindo post Isabel.
    Saído do coração, nitidamente.
    Nós é que agradecemos esta partilha tão…humana.
    Abraço
    Marta M

    • … e sai mesmo do coração… sobretudo nos momentos em que já não cabe lá dentro.
      É bom extravasar… e partilhar esse “extravasamento”!
      … e é muito bom sentirmo-nos e aceitarmo-nos tão humanamente quanto nos descobrimos, com o que isso possa ter de mais agradável e de mais difícil…
      obrigada também por vires aqui, Marta.
      És sempre bem-vinda
      Abraço
      Isabel

  12. João Nuno diz:

    E eu agradeço-lhe, querida Isabel, por também fazer parte da minha vida e por estar presente em tantos dias essenciais da vida. Que bom que é quando a vida nos põe as pessoas certas nos momentos certos. É muito bom sentir a sua amizade.
    Deixo-a hoje com o “Brincador”…

    «Quando for grande, não quero ser médico, engenheiro ou professor.
    Não quero trabalhar de manhã à noite, seja no que for.
    Quero brincar de manhã à noite, seja com o que for.
    Quando for grande, quero ser um brincador.
    Ficam, portanto, a saber: não vou para a escola aprender a ser um médico, um engenheiro ou um professor.
    Tenho mais em que pensar e muito mais que fazer.
    Tenho tanto que brincar, como brinca um brincador, muito mais o que sonhar, como sonha um sonhador, e também que imaginar, como imagina um imaginador…
    A mãe diz que não pode ser, que não é profissão de gente crescida. E depois acrescenta, a suspirar: “é assim a vida”. Custa tanto a acreditar. Pessoas que são capazes, que um dia também foram raparigas e rapazes, mas já não podem brincar.
    A vida é assim? Não para mim. Quando for grande, quero ser brincador. Brincar e crescer, crescer e brincar, até a morte vir bater à minha porta. Depois também, sardanisca verde que continua a rabiar mesmo depois de morta. Na minha sepultura, vão escrever: “Aqui jaz um brincador. Era um homem simples e dedicado, muito dado, que se levantava cedo todas as manhãs para ir brincar com as palavras.»
    O Brincador,
    Álvaro Magalhães

    • Querido João Nuno
      É sempre bom senti-lo por aqui sobretudo com toda essa amizade que me comove e de que me sinto honrada.
      ” O Brincador” tocou-me também…
      Uma aparente imagem infantil, do adulto que deve “crescer” mantendo a capacidade de “brincar”… sobretudo com tanto do significado profundo que isso pode e deve conter.
      Gostava de “falar” um pouco mais sobre este tema que aqui lança e do que me faz sentir… porque me encanta e acho realmente importante.
      Mas acho que hoje vou ter que ficar pelo desejo… e pela hipótese de, quem sabe um dia, reflectir um pouco mais sobre este tema… aqui, ou noutro lugar, dado o adiantao da hora e amanhã ser dia de trabalho, ainda com a lgumas coisas para fazer…
      Obrigada.
      Obrigada eu uma vez mais, meu querido amigo, por quem sinto crescer exponecialmente a minha ternura.
      Beijinho
      Sempre,
      Isabel

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s